São Paulo: (11) 3787-1960

Litoral: (13) 3228-2429

Espanhol
Inglês
Brasil
laudos on-line

Estrabismo

O Estrabismo

Você provavelmente já ouviu falar de estrabismo, mas realmente sabe o que é, quais suas causas e até mesmo seu tratamento? Se a resposta for não, o artigo abaixo irá lhe mostrar que o estrabismo está muito além de um simples problema estético e que causa muito incomodo em seus portadores.

O estrabismo nada mais é do que um distúrbio que acaba percebido devido a falta de paralelismo entre o olhos, ou seja, a pessoa não tem o olhar paralelo e por isso os olhos acabam direcionados para locais diferentes, dando a impressão que eles olham para dois locais diferentes.

O distúrbio pode ser divido em três classificações distintas sendo elas exotropia, esotropia ou hipertropia. No primeiro caso o paciente tem um ou os dois olhos se movendo em direção as laterais do rosto, no segundo caso o movimento de um ou dos olhos se dá para a direção do nariz, já no terceiro e último caso, o movimento dos olhos se dá para cima ou para baixo.

No entanto, o estrabismo pode também acontecer de forma contínua, ou seja sempre no mesmo olho e da mesma maneira , e são chamados de monoculares, ou até mesmo acontecer em olhos alternados, por exemplo, um dia um olho pode sofrer o distúrbio e no outro é o outro olho que acaba afetada, isso se chama alternantes. O estrabismo pode também acontecer de vez em quando, e aí se classifica como intermitentes, ou até mesmo acontecerem em condições específicas, como a falta de óculos, o flash de uma fotografia, entre outros, nesse caso o estrabismo é latente.

Porque acontece o estrabismo?
Ele pode surgir até os 3 anos de idade de uma pessoa e acontece quando o movimento, que deveria ser harmônico, entre os nervos cranianos e músculos que comando os olhos não acontecem. Isso pode acontecer por conta de fatores como a dificuldade que os músculos tem para direcionar o movimento ocular, a perda de visão em um dos olhos (que acaba por fazer com que os olhos se aproximem na tentativa de melhorar esse problema), por conta de algumas doenças neurológicas, oculares, diabetes, problemas na tireoide e também por conta de alterações genéticas a até mesmo por conta de alguma infecção.

O estrabismo pode ser detectado quando o paciente ainda e um bebê, mas normalmente só é constatado depois de uma certa idade, isso porque em crianças menores possuem um mecanismo que consegue maquiar a deficiência de visão, fazendo com que ela desapareça por falta de uso.

Além dos problemas de visão que podem ser vistos, os pacientes que possuem estrabismo podem ter também dores de cabeça constantes, inclinação da cabeça para um dos lados e até mesmo torcicolo. Tudo isso porque a pessoa tenta de alguma maneira minimizar os efeitos do estrabismo e acaba inclinando a cabeça de um lado ou de outro.

Tratamentos do estrabismo
O estrabismo só é detectado e confirmado com um teste conhecido como foco de luz. Nele o oftalmologista consegue descobrir se as pupilas estão centralizadas, além de teste padrão de acuidade, aquele que todo mundo faz quando vai ao médico, oclusão de movimento, tamanho de desvio e também de fundo de olho.

Confirmado o estrabismo é hora de corrigir as causas que acabam provocando o distúrbio, isso pode incluir o uso de óculos, exercícios com as vistas, colírios, uso de tampão ou até mesmo cirurgia. Tudo vai depender do problema e de suas causas. Por isso é preciso que você procure um especialista na hora de se consultar.

Responsável técnico: Dr. Jorge Mitre | CRM: 28420
Desenvolvido por Olivi Publicidade