identificar a conjuntivite

Como identificar a conjuntivite?

identificar a conjuntivite

A conjuntivite é bastante comum. Se você ainda não teve na vida, as chances são que você ainda contraia essa doença. O motivo por trás disso está no fato de que sua forma viral é extremamente contagiosa. Além disso, ainda existem outros dois tipos, a bacteriana e a alérgica. Ao contrário do que diz o mito, a conjuntivite não é transmitida pelo ar, mas é possível contrair essa doença pelo simples contato com o rosto ou as mãos de uma pessoa que ainda está em fase de contágio.

Mas você sabe exatamente como identificar a conjuntivite? Veja agora quais são as recomendações para que você entenda o que está acontecendo e se cure o mais rápido possível.

Os sintomas comuns para identificar a conjuntivite

A maioria das pessoas percebe que está com conjuntivite ao acordar. Isso porque os olhos estão extremamente inchados e com secreções. È comum acordar com os olhos grudados por causa dessas secreções que se secam enquanto eles estão fechados. Mas além disso, também é possível notar vermelhidão, ardência, coceira, sensação de areia nos olhos, além de sensibilidade aumentada à luz e dor em ambientes muito claros ou exposição a fontes de luz.

A diferença entre os três tipos de conjuntivite

Um ponto importante sobre como identificar a conjuntivite está nos fatores que provocam essa doença. Como dissemos, ela pode ser viral, bacteriana ou alérgica, e são os sintomas que darão os sinais sobre qual tipo aflige você. A principal diferença está na formação de muco. Enquanto a bacteriana apresenta secreções amareladas em grandes quantidades, a viral tem menos muco e de aparência esbranquiçada. Já a conjuntivite alérgica geralmente vem acompanhada de outros sintomas, como a coriza e dores nos seios da face, por exemplo.

identificar a conjuntivite

A consulta ao médico oftalmologista para identificar a conjuntivite

Apesar de essa ser uma doença comum, é importante que um médico seja consultado para identificar a conjuntivite. Durante a consulta, ele revisará os sintomas que o paciente está experimentando e fará uma avaliação dos olhos. Com essas informações em mente, um tratamento será recomendado quando possível. Isso porque, em alguns casos, será necessário fazer compressas quentes para aliviar os incômodos e esperar a conjuntivite passar com o tempo. Esse é o caso do tipo viral, que não tem tratamento específico.

Para o tipo alérgico, é importante tratar a causa da alergia em geral e não somente os olhos. Para tanto, são receitados anti histamínicos e, claro, evitar o contato com o alérgeno que provocou todo o quadro. No caso da conjuntivite bacteriana, são necessários colírios com antibióticos para que ela suma de uma vez por todas.

 

A conjuntivite é uma doença comum e altamente contagiosa quando em sua versão viral. Por esse motivo, é recomendado que os pacientes evitem permanecer em ambientes fechados com outras pessoas. Por isso, é comum que as pessoas fiquem afastadas do trabalho até que a fase de contágio tenha encerrado, e ela dura mais tempo que os sintomas.

O mais importante para identificar a conjuntivite é consultar um médico oftalmologista e se certificar de que é exatamente esse o seu caso. Existem outras doenças que compartilham da mesma lista de sintomas e você não vai querer seguir o tratamento errado, não é mesmo?

Você já teve conjuntivite? Conte nos comentários como você fez para identificá-la.

Hospital de Olhos
MENU