Fotofobia: o que é essa condição e como tratá-la?

Pessoas com sensibilidade à luz ou fotofobia não conseguem olhar diretamente para a luz ou permanecer em ambientes claros. A condição faz com que os olhos fiquem bem irritados e pessoas que sofrem com o problema podem sentir dores fortes nos olhos quando expostas a lugares com muita luz. No entanto, é um sintoma comum que está associado a várias condições diferentes, desde pequenas irritações até emergências médicas graves como lesões na cabeça.

Para que o diagnóstico seja feito corretamente, é recomendável buscar ajuda de profissionais especializados para que o tratamento adequado seja indicado. Reunimos, abaixo, as principais características da fotofobia e como tratá-la.

Principais causas da fotofobia

É importante ressaltar que a fotofobia não é uma doença, mas um sintoma que pode vir de diferentes condições. Além disso, a sensibilidade à luz pode ser consequência de doenças oculares ou não. Ou seja, é importante descobrir qual é a real causa da condição para que o diagnóstico seja preciso.

No caso de doenças oculares, as principais que podem levar a fotofobia são: síndrome dos olhos secos, doenças da córnea, uveíte, blefarite, conjuntivite, inflamação da íris, astenopia, ceratoconjuntivite, doenças da retina, glaucoma, entre outras.

No entanto, existem outras causas que também podem gerar sensibilidade à luz. Enxaqueca, blefaroespasmo, depressão, lesões na cabeça, meningite, albinismo, intoxicação por mercúrio e botulismo são alguns exemplos. Relatar com detalhes os sintomas e outros fatores podem ajudar o médico a identificar rapidamente a causa.

Busque sempre ajuda médica

Como as causas da fotofobia podem ser diversas, é muito importante que o paciente busque ajuda médica e nunca faça a automedicação. Somente após a consulta com um clínico geral, oftalmologista ou neurologista será possível tratar a condição.

Caso contrário, pode ser que os sintomas piorem. Se a doença for ocular, o ideal é que a pessoa vá a um hospital de olhos com infraestrutura completa para realizar exames no mesmo local e começar o tratamento.

Os cuidados ao longo do tratamento

Os cuidados podem variar de acordo com a doença identificada. Somente após saber qual é a real causa da fotofobia é que o tratamento pode ser iniciado. Na maioria dos casos, a sensibilidade some logo após o começo do tratamento. Mas, é importante que pacientes com essa condição usem sempre óculos de sol com proteção contra os raios ultravioletas para cuidar dos olhos.

Evitar lugares muito iluminados e se expor diretamente ao sol são outras dicas para quem sofre com fotofobia. Além disso, adeptos às lentes de contato precisam seguir com rigor os rituais de limpeza das lentes. Uma recomendação é evitar usá-las sem interrupção e dar um descanso aos olhos.

Entendeu o que é a fotofobia e quais são as recomendações de quem tem essa condição? Ficou com alguma dúvida? Então deixe o seu comentário nos espaços abaixo. Não se esqueça de consultar um oftalmologista para encontrarem o melhor tratamento para o seu caso.

Quer ler mais conteúdo? Acesse o nosso blog, lá você pode conferir mais dicas e informações sobre os cuidados para garantir a saúde dos seus olhos.

Hospital de Olhos
MENU