Astigmatismo em grau máximo: qual o limite para fazer a cirurgia?

O astigmatismo é um problema de visão bastante comum, caracterizado pela curvatura irregular da córnea e/ou do cristalino. Nesse quadro clínico, os olhos não conseguem refratar os raios de luz de forma homogênea, gerando imagens borradas em qualquer distância. Se não for corrigido, pode acarretar em sintomas como dores de cabeça e cansaço.

Em alguns casos, ele aparece já ao nascimento e em outros se desenvolve ao longo da vida. A boa notícia é que existe a opção de corrigi-lo com cirurgia refrativa.

A dúvida que se tem, no entanto, é quanto aos limites para realizar essa correção nos olhos. Afinal de contas, existe grau máximo de astigmatismo? Quando é permitido fazer a cirurgia? Pensando em esclarecer estas questões, preparamos este post! Leia:

Cirurgia refrativa

Esta é a forma cirúrgica para a correção do astigmatismo, miopia e hipermetropia, capaz de reformular a superfície da córnea. O grau máximo de correção deve ser avaliado de forma individual, considerando principalmente a espessura e a curvatura corneana. Ela é indicada para pessoas acima de 18 anos e que estejam com o grau estabilizado. As principais técnicas disponíveis são:

 

  • LASIK: após uma incisão circular na córnea, o laser excimer, que não produz calor, é aplicado para esculpi-la, com posterior reposicionamento do flap. A recuperação costuma ser rápida e o grau se ajusta em pouco tempo.
  • PRK: retira-se o epitélio, parte superficial da córnea, aplica-se o laser e então é colocada uma lente de contato temporariamente para evitar dores durante o pós-operatório. A recuperação é mais demorada, porém, pode ser a mais indicada em alguns casos.
  • SMILE: É feita uma incisão de aproximadamente três milímetros para a retirada de um filamento posicionado entre duas profundidades da córnea.

Riscos

Apesar de ser considerado um procedimento seguro, a cirurgia refrativa envolve alguns riscos que variam desde os mais simples como leve sensação de olhos secos até mesmo os de alta complexidade como quadros infecciosos graves no pós-operatório. Daí a importância de consultar um profissional e seguir suas orientações.

Recuperação

Por ser um procedimento minimamente invasivo, a recuperação não requer o uso de tampões. Durante o período pós-operatório, no entanto, o oftalmologista costuma indicar o uso de colírios anti-inflamatórios, antibióticos e até lentes de contato terapêuticas para evitar complicações e incômodos.

Depois de tirar suas dúvidas sobre o grau máximo de astigmatismo para a cirurgia de correção, que tal marcar sua consulta com um profissional da área? Clique aqui e agende um horário na unidade mais próxima de você!

Hospital de Olhos
MENU